Dependência emocional

Dependência emocional

Dependência emocional
O que é dependência emocional?

A dependência emocional acontece quando alguém depende de outro para ser feliz, para se sentir bem, para se

sentir amada, para tomar suas próprias decisões. Pode ser um sofrimento leve e quase imperceptível ou até um

transtorno mental que exige tratamento. O começo da mudança acontece quando a pessoa consegue se valorizar.

Como diz Osho: “Se você é capaz de ser feliz quando está sozinho, você aprendeu o segredo de ser feliz”. 

Quando dizemos que uma pessoa é um dependente químico, nós estamos dizendo que a pessoa precisa de uma

substância (como álcool, maconha, cocaína, nicotina) para se sentir bem e, ao mesmo tempo, a substância é

fundamental, ou seja, a pessoa depende dela. Por este motivo, falamos em uma pessoa dependente de substância.

Na dependência emocional, podemos encontrar semelhanças nestes dois fatores:

– para se sentir bem a pessoa precisa de outra pessoa, como o namorado ou marido;

– a necessidade da presença é tanta que devemos dizer que a pessoa sente que precisa, que depende, da outra para

viver. E, assim, pode fazer toda sorte de sacrifícios para manter o relacionamento, ainda que o mesmo possa estar

indo de mal a pior.

Bem, esta é uma definição básica, uma analogia com a dependência química, para que comecemos a entender o que é

a dependência emocional.

 O que é dependência emocional?

Segundo a Mental Health America, uma associação americana sem fins lucrativos, “a co-dependência ou a

dependência emocional é uma condição emocional ou comportamental que afeta a habilidade do indivíduo de ter

um relacionamento saudável e mutualmente satisfatório”. Por esta definição, começamos a ver que a dependência

emocional terá impactos negativos não só para a pessoa que sofre, mas também para o seu parceiro ou parceira.

Uma definição mais clara e ligada à psicologia diz que a co-dependência ou a dependência emocional é “uma

condição psicológica ou um relacionamento no qual a pessoa é controlada ou manipulada por outra que é afetada

por uma condição patológica”. Neste sentido, a dependência emocional já poderia ser considerada uma condição

patológica, que exige cuidados e tratamento. Nem sempre é o caso, porém, é importante considerar a possibilidade

de se tratar de um transtorno mental. Segundo o DSM-5, os critérios diagnósticos para o Transtorno de

Personalidade Dependente são:

Transtorno de Personalidade Dependente – DSM-5

Uma necessidade difusa e excessiva de ser cuidado que leva a comportamentos de submissão e apego que surge no

início da vida adulta e esta apresenta em vários contextos, conforme indicado por cinco (ou mais) dos seguintes:

1) Tem dificuldades em tomar decisões cotidianas sem uma quantidade excessiva de conselhos e reasseguramento

de outros.

2) Precisa que outros assumam responsabilidade pela maior parte das principais áreas de sua vida

3) Tem dificuldade em manifestar desacordo com outros devido a medo de perder apoio ou aprovação (Nota: não

incluir os medos reais de retaliação).

4) Apresenta dificuldade em iniciar projetos ou fazer coisas por conta própria (devido a falta de autoconfiança em

seu julgamento ou em suas capacidade do que a falta de motivação ou energia).

5) Vai a extremos para obter carinho e apoio de outros, a ponto de voluntariar-se para fazer coisas desagradáveis.

6) Sente-se desconfortável ou desamparo quando sozinho devido a temores exagerados de ser incapaz de cuidar de

si mesmo.

7) Busca com urgência outro relacionamento como fonte de cuidado e amparo logo após término de um

relacionamento íntimo.

8) Tem preocupações irreais com medos de ser abandonado à própria sorte.

 

Fonte de pesquisa: psicologiamsn.com